Miguel Oliveira - Off the Record - Andre

Andreia D

O espírito é livre e leve e o coração pesado de compaixão e amor para dar. O meu hobby favorito é rir-me em situações em que não convém. Persigo utopias e essas, eu tenho milhares. Chorar? Só enquanto assisto o “The Notebook”. Tenho uma filha, que biologicamente é minha irmã mais nova, e por ela sou incondicionalmente apaixonada. Acredito em sereias e unicórnios porque afinal, “a arte e a vida se misturam e a fantasia e a realidade se acrescentam”.


1. Qual a característica que mais marca a tua feminilidade?
A característica que mais marca a minha feminilidade é, sem dúvida, a confiança que tenho em mim mesma e talvez também o jeito como a transmito.


2. Se esta sessão tivesse banda sonora, que música escolhias?
Olhei para as fotografias e pensei logo na minha canção favorita: Banana Clip do Miguel.

3. Enquanto estavas a ser fotografada, pensaste em algum momento ou em alguém em especial?
Por acaso, não. Também a boa disposição, o à vontade e os temas de conversa aleatórios do Miguel contribuíram bastante!


4. Ao olhar para as tuas fotos, o que mais gostas de ver em ti?
Gosto da maneira diferente como o meu cabelo se dispõe em cada fotografia.

5. Existe uma foto preferida? Se sim, qual?
As minhas favoritas são, praticamente, todas as que foram tiradas no espelho. Foram tiradas num momento super descontraído e acho que essa descontracção se reflectiu em cada uma delas.


6. Qual a sensação de ver o resultado final da sessão?
É uma óptima sensação para ser sincera. Confesso que, de certa forma, saí um bocado da minha zona de conforto quando aceitei fotografar num registo mais íntimo, o que foi como que um desafio para mim. No final, concluí que superei as minhas expectativas em relação a mim mesma e não posso, claro, deixar de agradecer ao Miguel por isso e pelas fotos espectaculares!

Miguel Oliveira - Off the Record - Andre